Memórias Imaginadas

  • Maria Dulce Loução Faculdade de Arquitectura - Universidade Técnica de Lisboa

Resumo

O mundo hoje, tal como refere Leach, é “uma cultura da cópia”. O mundo tornou-se infinitamente policopiado, onde a imagem, hiper real, se converte em simulacro e, pela sua própria natureza, destituída da própria realidade que se propõe reflectir.

Hoje, o mundo de uma certa arquitectura, é o mundo da Imagem, que conduz a um deficiente reconhecimento do espaço construído, sem conteúdo social, sem toque na realidade tangível.

È deste distanciamento da Disciplina da Arquitectura que resultam imagens sedutoras, consumíveis e sem discurso, onde a produção arquitectónica se reduz a manipulações filosóficas que legitimam a forma sem conteúdo.

A sedução é sempre superficial.

O acto de projectar enquanto antevisão de um futuro pressupõe a existência de uma Ideia gerada a partir da invenção, imaginada. Assim, o projectar, o inventar por imagens é a própria essência da arquitectura.

Embora baseado na experiência individual, intuitiva e intangível, o ensino da arquitectura sustenta-se em “factos convencionais” como diz Moneo, transcendidos em valor social que lhe confere o sentido, revestindo, assim, a aprendizagem da arquitectura de uma dimensão de transcendência.

A arquitectura é, assim, e por via do social e do artístico, fenómeno cultural, e o arquitecto um produtor de cultura inserido num contexto convencional, no qual a arquitectura ganha sentido.

 

 

The world today, as said by Leach, is “a culture of copy”. The world has become infinitely multi-copied, where the image, hipper real, is converted in simulation and, by its own nature, dismissed from reality itself on which a reflection is proposed.

Today, the world of a certain architecture, is a world of Image, which leads to a deficit when recognizing the constructed space, without social content, without touching the tangible reality.

It is through the detachment from the Subject of Architecture that seductive images result, consumable and without speech, where the architectural production is reduced to philosophical manipulations that validate form, without content.

Seduction is always superficial.

The act of designing as a preview of a future, assumes the existence of an Idea generated from the imagined invention. Therefore, designing and inventing through images is the exact essence of architecture.

Although it is based on the individual experience, intuitive and intangible, the teaching of architecture is sustained by “conventional facts” like it was said by Moneo, transcended in social value that gives it meaning, thus filling the learning of architecture with a transcendent dimension.

Architecture is then, by a social and artistic way, a cultural phenomenon, and the architect, a producer of culture, inserted on a conventional context, in which architecture acquires meaning.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-10-31
Como Citar
LOUÇÃO, Maria Dulce. Memórias Imaginadas. Joelho. Revista de Cultura Arquitectónica, [S.l.], n. 4, out. 2013. ISSN 1647-8681. Disponível em: <http://iduc.uc.pt/index.php/joelho/article/view/1474>. Acesso em: 23 jun. 2017.
Secção
Articles Joelho 4
Warning: array_merge(): Argument #2 is not an array in /var/www/html/lib/pkp/classes/core/PKPApplication.inc.php on line 578