Representações sociais da saúde e doença mental: Um estudo qualitativo com Profissionais de Saúde Mental

  • António Martins Instituto Superior Miguel Torga.
  • Joana Sequeira Instituto Superior Miguel Torga.

Resumo

Este trabalho pretende conhecer as representações sociais de Psiquiatras, Internos de Psiquiatria, Pedopsiquiatras e Psicólogos Clínicos sobre a saúde e doença mental. É um estudo qualitativo de carácter exploratório, pontuado epistemologicamente pelo construcionismo social e teoricamente pelo quadro das representações sociais. Participaram 30
profissionais de saúde mental, tendo sido realizada uma entrevista semiestruturada que foi analisada quanto ao seu conteúdo – através do programa NVivo 10. Da análise dos resultados, salienta‑se que as representações dos profissionais quanto à conceptualização da doença mental são heterogéneas, destacando‑se conceções operacionais, etiológico‑explicativas e relativistas. A saúde mental é conceptualizada pelos profissionais de saúde em função da flexibilidade, adaptação e funcionalidade e do bem‑estar biopsicossocial dos indivíduos. Implicações do presente estudo para o quadro teórico das representações sociais da doença mental são consideradas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-04-06
Como Citar
MARTINS, António; SEQUEIRA, Joana. Representações sociais da saúde e doença mental: Um estudo qualitativo com Profissionais de Saúde Mental. Psychologica, [S.l.], p. 7-22, abr. 2017. ISSN 1647-8606. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/psychologica/article/view/4106>. Acesso em: 24 ago. 2017.
Secção
Articles