Morte do rei, incorporação do poder e representação histórica: entre uma poética da ausência e uma poética do saber?

  • Douglas Attila Marcelino Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

Este artigo analisa estudos sobre temas como os da morte do rei, das formas de incorporação do poder e dos modos de representação histórica. Eles servem de ponto de partida para uma reflexão sobre a historiografia como forma de discurso caracterizada por certa configuração poética e por seus fundamentos como ritos de recordação. O primeiro aspecto a relaciona a um imaginário político e o segundo a práticas por meio das quais os homens conferem sentido às demandas pelo pertencimento a corpos coletivos imaginários. Apesar do diálogo estabelecido com autores diversos, como Louis Marin, Claude Lefort e Mona Ozouf, tornam-se centrais as interrogações de Jacques Rancière sobre uma «poética do saber» e de Fernando Catroga sobre uma «poética da ausência».

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-11-18
Como Citar
MARCELINO, Douglas Attila. Morte do rei, incorporação do poder e representação histórica: entre uma poética da ausência e uma poética do saber?. Revista de História das Ideias, [S.l.], v. 34, p. 113-135, nov. 2016. ISSN 2183-8925. Disponível em: <http://iduc.uc.pt/index.php/rhi/article/view/3757>. Acesso em: 23 maio 2017.
Secção
Artigos

Palavras-chave

Historiografia; imaginário político; representação histórica; poética do saber; poética da ausência