O Couto Mineiro do Cabo Mondego e o contributo técnico de Ernest Fleury (1878-1958)na indústria extrativa e cimenteira locais. Um relatório geológico inédito de 1923

  • José M. Brandão Universidade Nova de Lisboa – IHC; Universidade de Évora – CEHFCi
  • Pedro M. Callapez Universidade de Coimbra – DCT; CITEUC
  • José M. Soares Pinto Escola Secundária Dr. Bernardino Machado, Figueira da Foz

Resumo

O presente texto debruça-se sobre o relatório produzido por Ernest Fleury
(1878‑1958), professor do Instituto Superior Técnico, na sequência de  visita efetuada em abril de 1923, a convite da concessionária, aos  barreiros e pedreiras existentes, respetivamente, entre Buarcos e Tavarede e no perímetro do Couto Mineiro do Cabo Mondego (Figueira da Foz). Estas explorações alimentavam as fábricas de cerâmica, cal hidráulica e cimento locais, daí resultando produtos emblemáticos que granjeavam bom acolhimento no mercado nacional, mas que enfrentavam uma competição séria e crescente. O relatório descreve as principais características dos depósitos em exploração e pronuncia-se sobre as potencialidades destes jazigos, no âmbito de uma longa colaboração que este importante geólogo teve com as indústrias do Cabo Mondego. Neste âmbito, para além da sua aura técnica, este documento deve ler-se num contexto temporal e como um contributo para a história da Geologia Aplicada em Portugal, de que Fleury foi pioneiro.

https://doi.org/10.14195/1645-2259_16_15

  • Resumo viewed = 6 times
  • PDF viewed = 2 times

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-12-30
Como Citar
BRANDÃO, José M.; CALLAPEZ, Pedro M.; PINTO, José M. Soares. O Couto Mineiro do Cabo Mondego e o contributo técnico de Ernest Fleury (1878-1958)na indústria extrativa e cimenteira locais. Um relatório geológico inédito de 1923. Revista de História da Sociedade e da Cultura, [S.l.], v. 16, p. 343-367, dez. 2016. ISSN 2183-8615. Disponível em: <http://impactum-journals.uc.pt/rhsc/article/view/3977>. Acesso em: 22 nov. 2017.
Secção
Artigos

Palavras-chave

Ernest Fleury; carvão; pedreiras; indústria; Cabo Mondego (Portugal)